«

»

Oct
05

Rock Rocket fecha em alta temperatura a primeira noite da Mostra do Prêmio Dynamite

03/10/2009 – São Paulo – SESC Pompéia

A primeira banda a se apresentar na Mostra do Prêmio Dynamite de Música Independente foi o Instiga. O trio de Campinas/SP entrou no palco com o público ainda se acomodando nos assentos do teatro do SESC Pompéia. A banda aqueceu os presentes com sua peculiar mistura de indie rock com a mpb de nomes como Chico Buarque e Belchior. Músicas como “Olá”, “Sabiá” e “Tem Uma Banda” chamam a atenção pelos vocais despretensiosos, paradinhas surpreendentes, a guitarra balanceando bem base e riffs astutos e as excelentes linhas de baixo (não é à toa que o instrumento até ganha espaço para solo numa das músicas). Durante sua apresentação, o Instiga fez os que já conheciam cantarem junto e despertou curiosidade nos que ainda não estavam familiarizados com sua música. A banda ainda aproveitou o evento para tocar uma música inédita, chamada “Não Se Mate”.

Dando continuidade à Mostra, o Seychelles, da capital paulista, fez um show com uma pegada bem diferente da banda que havia acabado de se apresentar. Apesar da diferença de postura – um tanto mais polida –, o Seychelles divide com o Instiga a mistura de referências da música internacional (que vão do rock psicodélico à música eletrônica) com inspirações brasileiras, como o Secos & Molhados (provavelmente pelo fato do timbre de voz do vocalista Gustavo Garde remeter em muitos momentos ao de Ney Matogrosso). O Seychelles usou boa parte do tempo para apresentar músicas de seu álbum mais recente, “Nananenen”, como “No Caminho de Shangri-la”, “Highway” e “Poperô”. Os melhores momentos do show foram as barulheiras que a banda produziu ao final de algumas músicas, com efeitos e microfonias. A utilização de dois painéis luminosos um de cada lado do palco e um giroflex bem no centro, e a divertida movimentação de palco do baixista Fernando Cortez também mereceram destaque.

Para encerrar a noite, os também paulistanos do Rock Rocket, notadamente a atração mais aguardada. O trio incendiou o palco com seu rock sujo, simples e direto. Tocaram músicas como “Ninfomaníaca”, “Por Um Rock’n’Roll Mais Alcoólatra e Inconsequente”, “Cerveja Barata” (que foi cantada em coro) e “Puro Amor Em Alto Mar”, que serviu para o encerramento da apresentação, regada a cerveja. Falando em cerveja, em dado momento o baterista Alan, ao microfone, pediu desculpas ao Seychelles por ter roubado todo o suco de cevada do camarim enquanto a banda se apresentava. Difícil perdoar uma dessa, hein? Enfim, o Rock Rocket levantou o público das cadeiras, fazendo os mais animados caírem na dança, e assim terminava a primeira noite da festa.

Texto: Bruno Palma
Fotos: Hanilton Scofield

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>